Eu sou um parágrafo. Clique aqui para adicionar o seu próprio texto e editar-me. Sou um ótimo lugar para você contar sua história e para que seus visitantes saibam um pouco mais sobre você.

IMPLANTES DENTÁRIOS

 

O que são Implantes dentários?

 

O implante é um sistema fixo instalado no nosso osso alveolar remanescente, com o objectivo de reproduzir a função de uma ou mais raízes dentárias que foram perdidas.

 

O implante em si não é um dente artificial completo, mas sim a raíz sobre a qual será construída uma prótese dentária ( uma coroa ou ponte), com alicerce baseado por um ou mais implantes.

 

Como se colocam os implantes dentários?

 

O protocolo de reabilitação de um ou mais dentes com implantes envolve duas etapas distintas: a etapa cirúrgica, onde são instalados os implantes e a segunda etapa protética, de elaboração e colocação da prótese sobre o implante ou implantes.

 

De que são feitos os implantes?

 

Os implantes são feitos de materiais (normalmente titânio) que não induzem rejeição ou reacção indesejável no corpo humano, ou seja, são biocompativeis.

 

Como funcionam?

 

Quando colocados no osso, haverá um processo de osseointegração que o fixará ao osso no espaço de alguns meses. Durante esta etapa, o paciente poderá utilizar uma prótese provisória, fixa ou removível e fazer um controlo da placa bacteriana eficaz.

 

Finalizando o período de osseointegração, poderá iniciar-se a fase de confecção da prótese dentária fixa que funcionará à semelhança dum dente natural.

Em condições especiais, esse período de ósseointegração do implante pode ser já feito com a prótese fixa provisória suportada pelo implante (função imediata).

 

Quem pode ser candidato à colocação de um implante dentário?

 

Todas as pessoas podem ser candidatas a colocar implantes dentários, desde que tenham osso disponível. Se não houver osso suficiente para a colocação de um implante dentário existem diversos procedimentos para contornar o problema,

 

Os pacientes fumadores são considerados pacientes de risco para a colocação de implantes (sobretudo se fumam mais de 10 cigarros/dia  grande fumador), embora não os contra-indiquem. O tabaco afecta a cicatrizção do osso e da gengiva pelo que podem ser esperadas mais complicações nestes pacientes, com maior taxa de infecções pós-cirurgicas e cicatrizações mais demoradas.

 

Também a taxa de sucesso da osteointegração dos implantes é cerca de 10% inferior nos pacientes grandes fumadores. A perda óssea em redor do implante, ao longo do tempo pode ser, também, mais acentuada neste mesmo grupo de pacientes.

 

A manutenção?

 

Os implantes necessitam de cuidados, tal qual dispensamos aos dentes naturais.

A participação do paciente é muito importante durante toda a duração do tratamento seguindo as devidas recomendações do profissional.

 

Após conclusão da fase protética é necessário que o paciente esteja motivado para o controlo e manutenção do implante que agora passará a fazer parte da sua dentição normal.

 

A sobrevida eficiente e saudável do implante depende também dos cuidados por parte do paciente:

- Uma correcta higiene bucal;

-Visita semestral ou segundo a indicação do profissional para acompanhamento do(s) implante(s).

 

O tratamento com implantes bem realizado desde o seu planeamento inicial e tendo a cooperação do paciente durante e após a sua conclusão, oferece um alto índice de sucesso.

 

Este tipo de tratamento proporciona uma significativa melhoria na qualidade de vida dos pacientes que tenham perdido um, muitos ou todos os dentes, e é actualmente, uma extraordinária possibilidade de reabilitação oral.

 

A duração de um implante?

 

Muita gente pergunta sobre o tempo previsto para que um implante permaneça na sua função  Quanto tempo dura? Os implantes actuais são constituídos por materiais muito resistentes (titânio) e desenhados para suportar as cargas da mastigação, quando bem distribuídas, por muitos e muitos anos.

 

A maior parte das complicações ao longo do tempo, quando ocorrem falhas do próprio organismo e aparecem em redor do osso que suporta os implantes (peri-implantite), podendo resultar na perda do implante/prótese.

 

Esta situação pode ser causada pelas seguintes razões:

- Sobrecarga mastigatória sobre implante;

-Mau controlo de higiene oral por parte do paciente no que respeita ao(s) implante(s) e dentes vizinhos.

 

Conselhos para higiene oral dos implantes:

 

Cuidados pelo paciente:

A escovagem diária e a utilização de fio são absolutamente essenciais para o sucesso a longo prazo dos implantes dentários. Há uma série de outros produtos que poderão estar indicados e o profissional de saúde estabelecerá um regime de higiene oral especifico para cada paciente.

 

Escovagem:

O médico dentista ou higienista oral poderão recomendar o uso de uma escova manual ou eléctrica e para cada caso, farão uma revisão das técnicas de escovagem adequadas para a limpeza eficaz da área onde os implantes estão colocados.

 

Sistema de irrigação:

Os sistemas de irrigação são eficazes a remover resíduos alimentares e na redução da acumulação de placa dentária ao redor de implantes dentários. O médico dentista ou higienista oral poderão indicar o seu uso conjuntamente com alguma solução irrigadora.

 

Fio dentário:

O uso diário do fio ou fita dentária é essencial. A sua passagem correcta ajudará a remover placa bacteriana em redor dos implantes dentários, por baixo de pontes fixas e barras. O médico dentista ou higienista oral poderão indicar o uso de algum específico.

 

Escovilhões interdentários:

Estas pequenas escovas interdentárias, também chamados escovilhões são especialmente desenhados para limpar entre os dentes e os implantes. Não substituem a escovagem normal mas ajudam muita na higiene de espaços interdentários aumentados.

 

Visitas dentárias:

Está recomendado que o paciente com implantes visite o médico dentista ou higienista oral cada 3-6 meses, podendo ser desenhado um protocolo de controlo ajustado a cada paciente.